quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Saudações Marinheiros !!!

Vamos desbravar esse lindo e grandioso mar em busca de aprendizado, alegria e satisfação.
Esse mar que trará não só  surpresas mas também a força para enfrentarmos as pequenas e grandes marés com a união que nossos tripulantes tem na alma e no coração, sempre protegidos e abençoados por  Nosso Capitão Maior e por nossa Rainha do Mar.
Nossa marinheira Rita tinha postado o trecho dessa  música  vamos compartilhar com ela ?

Minha jangada vai sair pro mar,
vou trabalhar
meu bem querer,
Se Deus quiser
Quando eu voltar do mar
Um peixe bom
Eu vou trazer
Meus companheiros
Também vão voltar
E a Deus do céu
Vamos agradecer





terça-feira, 27 de setembro de 2011

Apresentação

       Em um ambiente intimista e acolhedor Anna e Bárbara - um fragmento foi apresentada no Sarau Alma d' Alma para um público que ama, vive e curte a arte. Esse foi um dos trabalhos da Cia. Nó ao Vento.


domingo, 18 de setembro de 2011

Anna e Bárbara - um fragmento

Dia 25/09, faremos apresentação no sarau do Espaço Alma D´Alma no Ipiranga, de uma cena inspirada na relação de Anna e Bárbara, da peça Calabar de Chico Buarque e Ruy Guerra. É um fragmento de cena, nossa leitura da relação dessas duas mulheres, com Denise Orthis e Rita Brafer e direção de Drica Rosa. Apareçam!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Papo de Marujo - Ajuda a moradores de rua


Salve Tiburgueiros, Marinheiros, povo do mar e da terra!
Depois de "Receita do Grumete" estreamos agora a coluna "Papo de Marujo". Aqui, a receita é outra: Vamos tratar do que andam fazendo os marinheiros da Cia. Nó ao Vento, dentro e fora da arte.

E quem anda trabalhando em causa social por aí é nossa maruja Drica Rosa.

Drica Rosa
Ela e um grupo de amigos, 2 vezes por mês, levam comida, àgua e roupa para moradores de rua no centro de SP.  A maioria Idosos, pessoas que não tem condiçoes mentais nem econômicas de se sustentar ou procurar ajuda. Vivem em grupos e dormem junto a igrejas, postos de polícia ou escolas, pelo temor à violência e risco de vida.

Esse grupo de ajuda não é uma ONG, nem nenhuma organização com fins lucrativos, apenas um grupo de pessoas que quer ajudar e que está fazendo o possivel com recursos próprios. O grupo já existe faz algum tempo e começou no periodo do inverno. Mas não apenas o frio atinge estas pessoas desamparadas, muitas doentes.

O que mais precisam é de roupa (masculina ou grande é a que mais precisamos), sapatos ou chinelos, cobertores e àgua principalmente.

Quem tiver roupa que possam doar, sapatos usados num canto de casa ou puder colaborar com algo (uma garrafa de àgua de litro por exemplo seria ótimo!), pode nos avisar por email, que o pessoal do grupo de ajuda irá buscar. (OBS.: não é aceita ajuda em dinheiro), e por favor, divulguem.
Pra quem quiser doar nosso email é cianoavento@gmail.com.
Desde já muito obrigada!!!

domingo, 21 de agosto de 2011

Receita do Grumete - Guacamole

Salve povo do mar!
Uma das colunas do nosso blog é a "Receita do Grumete". Sim, vamos falar de comida porque saco vazio não para em pé!

E pra começar, lá vai a receita do primeiro encontro oficial das "Marinheiras" da Cia. Nó ao Vento: Guacamole

Ingredientes:
1 abacate maduro, porém firme
1 tomates picados (sem pele e sem semente)
1 cebola picada
Coentro picado (a gosto)
Cebolinha picada (a gosto)
Pimenta malagueta sem semente - muita! (ou a gosto)
Sal a gosto
Preparo:
Amasse o abacate, misture os demais ingredientes e sirva com salgadinho de queijo.
(fácil, prático e picante!)

Se você tem alguma receita que gostaria de sugerir ao nosso Grumete cozinheiro nos envie um email com o assunto "Receita do Grumete".

terça-feira, 26 de julho de 2011

    
O barco saiu do estaleiro, no mar pra navegar, a tripulação apostos está a cantar!!!
Estou muito, muito, muuuuuuuuuuuito feliz por estar nessa embarcação chamada Cia. Nó ao Vento!

Depois andanças, encontros e desencontros, muito riso e algumas lágrimas na tentativa de ter um grupo de teatro forte, resolvi  fundar essa companhia, para teatrar, construir, navegar pelos mares da arte. Pra dar certo esse barco tem que estar muito bem tripulado e pensei muito a respeito de quem gostaria que estivesse comigo escrevendo cada página desse nosso diário de bordo e muitas pessoas chegaram a passar por minha cabeça, alguns chegaram até compartilhar essa "navegação" por alguns mares (Eder Soares e Admir Calazans na montagem de Navalha na Carne, a primeira viagem do barco recém saído do estaleiro), a eles meu muito obrigada. Depois de pensar, ponderar, pensar mais, "olhar" pra cada um bem fundo, ficaram marcados na minha alma e no meu coração para ir a alto mar e descobrir tesouros, 7 nomes: Cláudia Fernanda (atriz e artista plástica), Débora Souza (estilista, figurinista e artesã), Denise Orthis (atriz), Drica Rosa (atriz), Mega Jr (produtor, ator e jornalista), Sérgio Yamamoto (sonoplasta), Wanderley Salgado (ator), que completam comigo essa tripulação.
Fico muito feliz que cada um tenha aceitado SER A CIA. NÓ AO VENTO! Estamos juntos para aprender, crescer, errar (pq sempre é preciso) e navegar pelo mar da arte!

"Cia Nó ao Vento: Nó forte. Nó de pescador de arte. Por mais que o vento sacuda e o mar esteja revolto, não desata." 

Bem vindos à bordo!
Rita Brafer (atriz)
 
 

Cia. Nó ao Vento
 


Denise Orthis e Cia. Nó ao Vento

Fazer parte da Cia Nó ao Vento é envaredar e desbravar novos mares, é descobrir o que existe além da imensidão, é um mergulho para a descoberta do novo, o desafio que sempre buscamos em nossas vidas e em nossa arte. Navegar, navegar e sempre navegar chegando ao porto, à Terra firme, ao solo sagrado e mostrar toda aventura, toda conquista feita em cada navegação de peito e coração aberto.
  
"Navegar, navegar ô navegar
Busca incansante pelo bem
Porto me espera pra chegar
Gente venha ver mais uma vez
Que o marinheiro veio lhe mostrar
Ô navegar, navegar
Venha para cá mais uma vez
Que agora eu vou lhe ensinar
A maré mais uma vez vai me mostrar
Como alcançar a sua luz
Nesse barco que agora vai chegar
Ô navegar, navegar
Minha mãe me chama pra cantar
Dessa vez vou aprender e ensinar
Salve, salve, salve essa luz
Salve, salve, salve Iemanjá."
 
Navegar, navegar ô navegar
Busca incansante pelo bem
Porto me espera pra chegar
Gente venha ver mais uma vez
Que o marinheiro veio lhe mostrar
Ô navegar, navegar
Venha para cá mais uma vez
Que agora eu vou lhe ensinar
A maré mais uma vez vai me mostrar
Como alcançar a sua luz
Nesse barco que agora vai chegar
Ô navegar, navegar
Minha mãe me chama pra cantar
Dessa vez vou aprender e ensinar
Salve, salve, salve essa luz
Salve, salve, salve Iemanjá.