terça-feira, 26 de julho de 2011

    
O barco saiu do estaleiro, no mar pra navegar, a tripulação apostos está a cantar!!!
Estou muito, muito, muuuuuuuuuuuito feliz por estar nessa embarcação chamada Cia. Nó ao Vento!

Depois andanças, encontros e desencontros, muito riso e algumas lágrimas na tentativa de ter um grupo de teatro forte, resolvi  fundar essa companhia, para teatrar, construir, navegar pelos mares da arte. Pra dar certo esse barco tem que estar muito bem tripulado e pensei muito a respeito de quem gostaria que estivesse comigo escrevendo cada página desse nosso diário de bordo e muitas pessoas chegaram a passar por minha cabeça, alguns chegaram até compartilhar essa "navegação" por alguns mares (Eder Soares e Admir Calazans na montagem de Navalha na Carne, a primeira viagem do barco recém saído do estaleiro), a eles meu muito obrigada. Depois de pensar, ponderar, pensar mais, "olhar" pra cada um bem fundo, ficaram marcados na minha alma e no meu coração para ir a alto mar e descobrir tesouros, 7 nomes: Cláudia Fernanda (atriz e artista plástica), Débora Souza (estilista, figurinista e artesã), Denise Orthis (atriz), Drica Rosa (atriz), Mega Jr (produtor, ator e jornalista), Sérgio Yamamoto (sonoplasta), Wanderley Salgado (ator), que completam comigo essa tripulação.
Fico muito feliz que cada um tenha aceitado SER A CIA. NÓ AO VENTO! Estamos juntos para aprender, crescer, errar (pq sempre é preciso) e navegar pelo mar da arte!

"Cia Nó ao Vento: Nó forte. Nó de pescador de arte. Por mais que o vento sacuda e o mar esteja revolto, não desata." 

Bem vindos à bordo!
Rita Brafer (atriz)
 
 

Cia. Nó ao Vento
 


Denise Orthis e Cia. Nó ao Vento

Fazer parte da Cia Nó ao Vento é envaredar e desbravar novos mares, é descobrir o que existe além da imensidão, é um mergulho para a descoberta do novo, o desafio que sempre buscamos em nossas vidas e em nossa arte. Navegar, navegar e sempre navegar chegando ao porto, à Terra firme, ao solo sagrado e mostrar toda aventura, toda conquista feita em cada navegação de peito e coração aberto.
  
"Navegar, navegar ô navegar
Busca incansante pelo bem
Porto me espera pra chegar
Gente venha ver mais uma vez
Que o marinheiro veio lhe mostrar
Ô navegar, navegar
Venha para cá mais uma vez
Que agora eu vou lhe ensinar
A maré mais uma vez vai me mostrar
Como alcançar a sua luz
Nesse barco que agora vai chegar
Ô navegar, navegar
Minha mãe me chama pra cantar
Dessa vez vou aprender e ensinar
Salve, salve, salve essa luz
Salve, salve, salve Iemanjá."
 
Navegar, navegar ô navegar
Busca incansante pelo bem
Porto me espera pra chegar
Gente venha ver mais uma vez
Que o marinheiro veio lhe mostrar
Ô navegar, navegar
Venha para cá mais uma vez
Que agora eu vou lhe ensinar
A maré mais uma vez vai me mostrar
Como alcançar a sua luz
Nesse barco que agora vai chegar
Ô navegar, navegar
Minha mãe me chama pra cantar
Dessa vez vou aprender e ensinar
Salve, salve, salve essa luz
Salve, salve, salve Iemanjá.