quarta-feira, 30 de julho de 2014

Como fui arrebatado pelo teatro - por Renato Prieto

Costumo dizer que não tenho profissão tenho devoção meu primeiro contato foi na escola com minha mestra Glória... Me entregou um texto e disse: quero que vc participe do encerramento deste ano , sinto que seu caminho é o teatro, então vamos começar?

....nunca mais parei.

Até hoje meu coração bate forte quando alguém da produção diz: Renato está pronto? Vou dar o terceiro sinal!... Vamos começar??
O ator no espetáculo "Encontros Impossíveis"

Renato Prieto é ator


A Caravana da Ilusão está voltando!!!


quarta-feira, 16 de julho de 2014

Como fui arrebatado pelo teatro - por Flávio Guarnieri


Teatro: Minha paixão e meu infinito amor! Amo a arte de representar! Pudera: Fui gerado durante "Eles não usam Black-tie" no teatro de Arena (Hoje Eugênio Kusnet) em 1958 e nasci em Lisboa em Setembro de 1959 durante a tournê de Gimba! Os dois espetáculos de autoria de meu amado e saudoso pai, Gianfrancesco Guarnieri! No início não queria ser ator! Queria fazer medicina! Ser Médico pediatra! Depois quis ser comandante na aviação e em seguida, piloto de Fórmula 1! Aí, vc para pra pensar e descobre que existe uma forma sim de ser tudo isso! A profissão de ator, em que vc pode ser o médico, o comandante, o piloto e qualquer coisa que vc quiser e a hora que quiser! RS! Meu primeiro contato com o teatro como ator foi ainda amador no colégio Equipe e com direção do Serginho Groisman! Foi a peça "O berço do Herói" , que todos conhecem pela televisão, como Roque Santeiro de Dias Gomes! Eu fazia justamente o protagonista, que era o cabo Jorge! Papel do queridíssimo e agora muito saudoso tbém, José Wilker! Meu primeiro contato profissional foi uma peça do Marcílio Moraes chamada "Sonata sem Dó" e que por uma extrema coincidência estreeou no teatro de Arena em 1977 (o mesmo espaço onde fui gerado e tendo como um dos fundadores, o meu pai! Ganhei com essa peça o prêmio APCA de ator revelação e de lá pra cá não parei mais! Quis o destino que me tornasse ator! Quis o destino que eu me tornasse um melhor ser humano a cada dia! Com seus erros e acertos inerentes a raça humana! Quis o destino que eu me tornasse gente! Quis, sim, o destino, que eu me tornasse sempre um verdadeiro homem de teatro!

Flávio Guarnieri é ator


quarta-feira, 2 de julho de 2014

Como fui arrebatado pelo teatro - por Messias Carvalho


O ator em cena da peça "O som das cartas que não li"


A primeira lembrança que tenho de minha iniciação no teatro vem da infância, quando com 7 anos numa festa de Natal na casa de um tio alguém sugeriu que as crianças preparassem uma apresentação sobre o natal e junto a primos e amigos fizemos o um conto de natal improvisado que nos ocupou por um fim de semana inteiro. Os adultos queriam mesmo é que as crianças se ocupassem e acabaram despertando naquela criança um encanto que lhe faz brilhar os olhos até hoje.
Depois fui fazer teatro na escola, apresentava trabalhos encenados, participei de festivais de teatro estudantil, quase bombei várias vezes no colegial devido aos ensaios, mas era o xodó dos professores e direção da escola, justamente por fazer teatro na escola e para a escola.

Como a maioria fiz bastante teatro amador até me profissionalizar em 2000 e desde então não faço outra coisa. Em 2009 depois de passar por alguns coletivos de São Paulo junto a outros artistas que conheci nestas passagens criamos nossa companhia de teatro aonde venho desenvolvendo minhas pesquisas e trabalhos atualmente.

Messias Carvalho é ator